Crédito – Coperphoto/Valter Pontes.

Salvador recebe o Reality Show Gastronômico Mesa ao Vivo

Por Brenda Gomes
brenda@reportergourmet.com.br

 

O evento gastronômico Mesa ao Vivo, promovido pela revista Prazeres da Mesa, em parceria com o Senac Bahia, teve sua estreia nessa segunda-feira (31), às 15h, na Casa do Comércio, aqui em Salvador.  O auditório ficou lotado de estudantes e professores de Gastronomia, que assistiram ao talk show com o tema “Do coco ao dendê: traços de nossas origens”. Foi uma verdadeira moqueca de conhecimentos, que reuniu renomados chefs para debate sobre o que a Gastronomia baiana tem de melhor.

“A Bahia está sendo premiada com esse evento. A cozinha baiana existe há 300 anos. Por que deveria ficar parada? Por que não modernizar? Mas com consciência”, falou o Chef Beto Pimentel, durante o seu discurso. Com pitadas de humor e doses de experiência, os chefs baianos Tereza Paim, Beto Pimentel e Edinho Engel, juntamente com o chef João Carlos Silva, de São Tomé e Príncipe, a Gerente de Relações Institucionais do Senac local, Urânia Martins, e Carlos Ribeiro, do programa Na Cozinha, debateram sobre a importância da valorização da Gastronomia local,  reforçaram a usabilidade do dendê na comida baiana, comentaram sobre a tradição e inovação na cozinha e deram dicas de uso de alguns alimentos como a Fruta-Pão. “A gente usa Fruta-Pão para engrossar o caldo do calulu*”, explicou o estrangeiro João, com o seu forte sotaque português.

Crédito – Coperphoto/Valter Pontes.
João Carlos Silva, de São Tome Príncipe, aguçou o paladar da plateia ao falar da fruta pão. Foto: CoperPhoto – Valter Pontes.

O evento, realizado pela primeira vez em Salvador, foi pensado há 1 ano e propõe a experiência da produção ao vivo de uma edição da revista Prazeres da Mesa.  Continua nos dias 01 e 02 de abril com aulas, degustações e jantares magnos na Casa de Tereza (dia 01) e no Amado (dia 02). Os ingressos custam R$ 220 e as vendas estão sujeitas à lotação das vagas.

*Calulu é um prato típico de São Tomé e Príncipe. Não deve ser confundido com o caruru.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*