Sem o glúten de cada dia

Sem o glúten de cada dia

Entenda quais os motivos para eliminar o glúten da sua dieta alimentar

Nas academias, entre amigos, no mercado e principalmente nas redes sociais, você já escutou ou leu, “Alimento X – Sem Glúten” ou  “Free Glúten”. Mas talvez o que você não tenha escutado são os motivos do porque as pessoas têm evitado o consumo do Glúten.

Existente na composição dos nossos alimentos que consumimos há muito anos, a proteína do glúten está presente no grão trigo, como também na cevada, centeio, kamut e bulgar. Na culinária, usamos muito para dar uma textura macia ao prepararmos pães, bolos, salgados e doces.

Confira a receita que preparamos com pão sem glúten – Criatividade é a receita para uma dieta sem glúten.

Mas de uns anos para cá, com o avanço e aumento da produção de alimento no mundo, os grãos sofreram modificações genéticas e com isso, foi acarretado prejuízos a nossa saúde. Segundo o nutricionista Victor Bahia, todos devem estar em alerta quanto a estas mudanças, pois interferem diretamente na saúde de todos. “Atualmente, a semente do grão sofre mais de 60 mil modificações genéticas. Nosso corpo não possui enzimas para dar conta disso tudo. Com isso vêm os problemas digestivos tais como: obstipação, estufamento abdominal, dificuldade de perder peso, diarréia”, explica Victor.

Pão sem glúten.
Pão sem glúten.

Cerca de 60 % da população tem algum sintoma relacionado ao glúten, como dores abdominais, náusea, diarréia, prisão de ventre, e incômodos intestinais. Além disso, existem algumas doenças que para serem tratadas exigem que o glúten seja retirado da alimentação: é o caso, por exemplo da doença celíaca (uma inflamação grave do intestino que causa crises de diarréia e cólica intestinal quando se consome qualquer alimento que contenha glúten).

Além desses casos, alguns estudos mais novos que mostram que crianças com autismo, Síndrome de Down e adultos com escleroses e outras doenças do sistema nervoso tendem a ter melhores resultados no tratamento quando retiram o glúten da alimentação.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*